Após questionamentos sobre critérios de distribuição dos boxes do Mercado Municipal de Juazeiro, gestor da AMA participa amanhã (20) de audiência na Câmara de Vereadores

Após questionamentos sobre critérios de distribuição dos boxes do Mercado Municipal de Juazeiro, gestor da AMA participa amanhã (20) de audiência na Câmara de Vereadores

Foi confirmada para esta terça-feira (20), às 09h, a participação do diretor presidente da Autarquia Municipal de Abastecimento (AMA), Carlos Neiva, na sessão ordinária da Câmara Municipal de Juazeiro. A convocação de Neiva foi aprovada na sessão da última quarta-feira (14).

O gestor da AMA vai esclarecer, diante dos vereadores, detalhes do processo de distribuição dos boxes do Mercado Municipal Joca de Souza Oliveira, entregue pelo Governo do Estado no último dia 09 de setembro.

Ao ser notificado da convocação, Carlos Neiva abriu mão do prazo de 15 dias estabelecido pela câmara para o seu comparecimento e solicitou ao presidente da casa, Berg da Carnaíba, para antecipar a audiência já para a próxima sessão.

“Considero justa e oportuna a nossa convocação, por entender que se trata de uma questão urgente, que precisa ser debatida com transparência para não pairar dúvidas sobre a nossa conduta técnica, criteriosa e absolutamente honesta, não é uma situação fácil porque envolve o destino de muitas famílias, não poderíamos ter outra postura diante disso, senão com total transparência e responsabilidade”, declarou Carlos Neiva.

Entenda o caso

Na última terça-feira(13), em entrevista ao Programa Preto No Branco na Transrio FM, Herlânia Fonseca contou a jornalista Sibelle Fonseca que atuou por mais de 20 anos como permissionária no Mercado Joca de Souza Oliveira, após ganhar de uma tia, no dia do seu aniversário, um box de confecções no espaço.

Ela apresentou uma carta em que a tia repassava o ponto como presente. Herlânia relatou ainda que na ocasião do incêndio no mercado, na gestão do ex-prefeito Joseph Bandeira, teve o box destruído pelo fogo, mas conseguiu recuperá-lo e continuar comercializando no mercado municipal.

Mãe de 2 filhos, casada com um pedreiro, a comerciante disse que após a doença da mãe teve que fechar temporariamente o ponto, mas na confiança de que os anos trabalhados no local lhe garantiam a posse do box. Assim que foi anunciada a obra de requalificação do mercado, ela providenciou o cadastramento, e estava certa que voltaria a ter seu ponto. No entanto, para sua surpresa, ao ir na AMA- Agência Municipal de Abastecimento, na última segunda-feira (12), foi informada que seu nome não constava na lista de cadastrados e que sua tia, a empresária Ivanilde Oliveira Fonseca tinha apresentado uma documentação e iria ocupar 4 boxes no mercado. Um no seu nome, outro no nome do esposo o empresário Genivaldo Barbosa da Silva e mais dois em nome dos filhos, Raffani e Rafael.

“O responsável pela AMA me mostrou a lista e constavam os nomes dos 4 da família. Eu tenho aqui a carta ela me repassando o ponto, investi na reconstrução do ponto que foi destruído pelo incêndio, cheguei a vender até um veículo que eu tinha, eu fiz meu cadastramento, eu trabalhei lá quando o mercado funcionava precariamente, enquanto eles tinham suas empresas grandes. Agora que o mercado foi reformado aparecem como donos dos boxes? Que critérios foram estes, meu Deus”? questionou a comerciante.

Muito abalada e suplicando ajuda, Herlânia contou que precisa do ponto para garantir o sustento da família e questionou o fato da empresária e sua família terem sido contemplados com 4 boxes, enquanto comerciantes que atuaram por anos no espaço, terem ficado de fora do novo mercado.

A permissionária Luciana, também em entrevista ao programa, relatou que 48 antigos permissionários terão que participar de um sorteio de 16 vagas para terem direito de voltar a comercializar no espaço. Luciana disse também que há quase 20 anos atuou no local com uma banca de confecções, e terá que se submeter ao sorteio.

A história de Luciana e de Herlânia Fonseca trouxe a tona questionamentos sobre os critérios utilizados para a distribuição dos boxes do novo Joca de Souza Oliveira.

Nesta quarta-feira (14), por solicitação do Vereador Alex Tanuri, assinada e referendada por 15 vereadores presentes à sessão ordinária, a Câmara de Vereadores de Juazeiro aprovou a convocação de um representante da AMA – Agência Municipal de Abastecimento para explicar o critério utilizado para a distribuição dos boxes do mercado,  entregue à administração municipal na última sexta-feira (9) depois de uma reforma realizada pelo governo estadual.

Tanuri justificou a urgência do requerimento de convocação do representante da autarquia, “porque há uma desconfiança de que permissionários do mercado, que estão há 30, 40 anos lá, vão ficar de fora para dar lugar a empresários”.

O PNB está enviando a AMA uma solicitação de esclarecimento sobre os critérios de distribuição e aguarda resposta.

Redação PNB, com informações Ascom PMJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.